Reforma Administrativa começa a ganhar cara e ser discutida em breve no Congresso

Por Guilherme Kalel e Nathalia Toledo

07/10/2019 | 12h02

A Reforma Administrativa será o grande passo do governo federal nas próximas semanas.
Depois de a Previdência ser aprovada em segundo turno no Senado, este será o novo embate do governo com o Congresso.
Embate no bom sentido já que muitos entendem da necessidade de se reestruturar todo o setor federal.

Entre outras coisas, a proposta prevê o fim de uma série de gratificações, fim da estabilidade para algumas carreiras, a possibilidade de demissão se não houver satisfação com o serviço prestado.
Facilitações na contratação de serviços com a iniciativa privada, fim de bônus pagos a diversos setores do serviço público, e a regulamentação da lei anti greve.

Toda a proposta está sendo formatada pelo Ministro da Economia Paulo Guedes, e a expectativa é que seja lançada ao Congresso dentro de duas semanas.
O governo espera, que até pelo menos abril do ano que vem, essa proposta esteja aprovada.
Em ano de eleição dificilmente o Congresso aprovaria temas polêmicos, ainda mais nos seis meses anteriores ao Pleito.
Por isso é importante se convencer das necessidades de mudanças, para que a proposta avance rapidamente.

Se o governo adotar porém, a mesma estratégia da Previdência, a Reforma Administrativa será um tiro na cabeça.
O que o governo precisa entender na visão de especialistas, é que não basta apenas apresentar a ideia ao Congresso.
É preciso defendê-la, explicar por que é necessária, e como será viável e melhor para o país.

Anúncio – Veja os produtos que podem mudar sua vida

Publicado em