TSE pede linhas que efetuaram disparos em massa nas eleições de 2018

Por Patricia Prior

Redação Online 12/10/2019 | 7h26

O Tribunal Superior Eleitoral, determinou nesta sexta-feira, 11, que empresas de telefonia revelem os titulares de linhas que no ano passado, usaram a plataforma Whatsapp, para disparos de mensagens em massa.
Esses disparos ocorreram nas eleições presidenciais e beneficiaram especialmente a campanha do atual Presidente Jair Bolsonaro.
A suspeita, é que as linhas usaram Fake News, para enviar mensagens as pessoas violando regras do Whatsapp.

Na quinta-feira, 10, dirigentes do próprio Whatsapp reconheceram que houve falhas e que as eleições brasileiras tiveram disparos de mensagem em massa.
Mas a empresa não consegue informar, a quem pertence as linhas.
Por isso, o TSE pediu as operadoras Claro, Vivo, TIM, Nextel, OI, Porto Seguro e Terapar, que identifiquem essas pessoas.
Uma vez identificadas, as pessoas poderão ser melhor investigadas e saber, quem as contratou para os disparos das mensagens.
Se comprovadas irregularidades e o envolvimento do Presidente ou de alguém de sua campanha de maneira direta, é possível que seu mandato seja até cassado, em atitudes mais extremas.

Volte ao Royal Express

Anúncio – Veja os produtos que podem mudar sua vida

Publicado em